Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Minha Aldeia

Diário de bordo do meu Mundo que é uma aldeia pintada com as cores do arco-íris.

Crónicas da Minha Aldeia

Diário de bordo do meu Mundo que é uma aldeia pintada com as cores do arco-íris.

31
Mar19

A mudança da hora transtorna-me

Miss Lollipop

Não sei como é com vocês,  mas a mim, a mudança da hora deixa-me completamente transtornada, tipo zombie em piloto automático. 

E os telemóveis serem mais inteligentes que os restantes relógios espalhados  pela casa muito menos ajudam.

Tendo-me deitado muito tarde, o meu sono de beleza foi abruptamente interrompido pelo telefonema do Pop que tinha ido borgar e que fez Mr Lollipop ir buscá-lo por entre impropérios vociferantes.

Fixolas, voltei para o doce leito e dormi até Mr Lollipop me perguntar se não almoçava. 

What? Gritei. Não são horas de almoço! Ah pois são.  O relógio do quarto está com a hora antiga.

Sem fome, lá me obriguei a petiscar qualquer coisa, estando Lolli muito contente pois adora almoçar cedo.

Na esplanada onde habitualmente cafezamos com o pessoal, desencontrámo-nos todos.

Fui buscar umas plantitas para o meu private garden e a loja fechara 1 hora antes.

Lanchei às 6 horas a pensar que eram 5 horas, Lolli e Pop ganiam já de fome, e eu sem perceber porquê. 

Mr Lollipop foi para a cozinha tratar do jantar e comecei a marrar com o desgraçado que cada vez trata mais cedo do jantar.

Amoroso, fez- me o meu miminho domingueiro e eu sem fome nenhuma.

Come dizia- me ele.

Não  tenho fome !!! E ainda está de dia !!!! Ontem ainda não eram 7 horas !!!!

E lá fui engonhando a emborcar vinho branco enquanto ia tentando comer o meu miminho.

20190331_223126.jpg

 

26
Mar19

E já há brincos

Miss Lollipop

Finalmente depois de uma longa cruzada avenida acima, avenida abaixo, de ter reparado a meio caminho que me esquecera da carteira no office, de ter perdido a conta ao número de botecas nacionais, chinesa, indianas, arranjei o único par de brincos que achei que tinham o mínimo de dignidade para enfeitar meus delicados lóbulos e assim aquietar o meu mau feitiozinho.

 

20190326_145414.jpg

 

 

26
Mar19

Sem brincos é que não

Miss Lollipop

Bastou entrar no carro, levar as mãos às orelhas e ficar irritada por sentir os meus lóbulos desnudos.

Não consigo andar sem pendericalhos nas orelhas, vulgo brincos.

Ainda fiz uma tentativa inglória de voltar atrás, mas a cria mais nova entrou em desespero de causa com a possibilidade de chegar mais atrasada do que já iria chegar.

Sei que é pancada, e das grossas, mas não consigo andar sem pendericalhos nas orelhas, vulgo brincos.

Sinto-me uma concorrente daquele programa que ninguém vê mas que todos comentam onde andam com plásticos e cartões à volta do corpo e calçam meias apanhadas no lixo.

Não falem comigo, não me digam nada que me salta logo a tampa, vulgo, o meu mau feitiozinho.

E ansiosa me confesso à espera da bendita hora de almoço, onde liberta das minhas obrigações profissionais, me encontrarão numa demanda insana em busca do par de brincos perfeitos ao meu look do dia.

Porque por muito desesperada esteja, não será qualquer par de pendericalhos que terá o prazer de enfeitar meus lóbulos agora desnudos

22
Mar19

To Like Or Not To Like

Miss Lollipop

Esta é realmente a questão. De onde vem esta necessidade insana de se ter likes seja onde for, custe aquilo que custar?

Se não houver, deve ser criado urgentemente um ranking de likes para aquietar as almas mais perturbadas com a falta de likes.

Uma foto de corpo inteiro em bikini deve valer muito mais likes do que uma foto de um pé subtilmente enterrado na areia, estando no meio da tabela as fotos das lisas barrigas e pernas torneadas a apontarem para o mar, ultrapassadas na curva pelas fotos do arroz de marisco, que afinal foi o da frente que comeu, já que só como bife com batatas fitas e ovo estrelado o que é uma monotonia e não gera tantos likes.

 Faz-se uns trabalhos com arame revestido com os restos dos panos que já não prestam e pechisbeques comprados no chinês, achamos que temos alma de poeta e gostamos de postar frases inspiradoras e motivacionais, temos uns animais catitas que chateamos com laçarotes e disfarces improvisados, cria-se uma página, e pedem-se likes aos amigos, aos amigos dos amigos, aos que não são amigos e afins, irrompendo nas nossas páginas com pedidos de partilhas por todos e quaisquer meios.

Queres ganhar aquela massagem com uns calhaus a ferver depois de ficares com o corpo besuntado com óleos especiais e barrada com argila, lama e petróleo ? Toca de partilhar e de likar senão não tens direito a nada.

As apostas daquele tipster que até tem uns palpites bacanas quando está para aí virado, só vêm a luz da rede quando chegarem aos 5501 likes.

Tens imaginação suficiente para criares uma frase, uma quadra, um texto para arrebatares um prémio num passatempo apetecível? Esquece lá isso, que a imaginação e o jeito não contam para nada. O que contam são os likes. Ganha quem tiver mais likes, por isso toca de chatear toda a gente que conheces e não conheces vezes sem fim para clicarem no like.

A vossa cria mascarou-se com uma toalha enrolada, umas pantufas do Roger Rabbit e um boné na cabeça? Está no bom caminho para a foto dela ser escolhida como a melhor, ultrapassando em larga escala a mocinha de trancinhas e o disfarce de índia a preceito, ou a sereia de materiais reciclados feito pela mãe que não pregou olho durante 1 semana, desde momento que estejas num grupo onde apelas repetidamente ao belo do like, fazendo com que aflorem sentimentos de culpa dignos de os encaminharem para o psicólogo mais próximo queles que não estão para compactuar com o tsunami dos likes.

 

13
Mar19

Não vou falar de Ronaldo

Miss Lollipop

Não vou falar do Ronaldo, porque toda a gente está a falar do Ronaldo, hoje só dá Ronaldo, o mundo deixou de pular e avançar como uma bola colorida entre as mãos de uma criança para passar a avançar como bola letal entre as pernas e a cabeça do Ronaldo.

Não vou falar sobre a cabeçada improvável mas certeira numa bola que finta um Oblak incrédulo, nem sobre a bola que resvala pelas mãos do mesmo Oblak, nem do penalty marcado à confiança.

Não vou falar sobre o destaque dado por toda a imprensa nacional, estrangeira e de arrabaldes, totalmente rendida a um Ronaldo claramente inspirado e com sede de vingança, nem do relato louco do jornalista brasileiro.

Não vou comentar que Ronaldo humilhou, derrubou, esmagou, terminou, afundou, chocou o Atlético, nem que Ronaldo é enorme, um Deus, Todo Poderoso, animal, besta, máquina, bruxo, marciano, carrasco, mestre, lenda e pura potência.

Não vou comentar as promessas que Ronaldo fez à família antes do jogo, nem dos festejos à Simeone, e muito menos as lágrimas da Gio e as piadas que originaram, nem a foto do baú do Ronaldo qual criança imberbe desdentada, nem sequer que Deus nem tarda nem falha, segundo sua esotérica irmã.

Não vou falar de Ronaldo, nem do facto de que daqui a uns anos lá andarão nuestros hermanos a tentar provar que, afinal Ronaldo era espanhol.

Não vou falar de Ronaldo. Ponto final.

12
Mar19

Onda de indignação

Miss Lollipop

Uma onda de indignação varre o país nesta altura, gerando um vendaval de críticas ferozes,  à conta dos novos programas estreados no passado domingo.

Estes programas apenas existem, porque há quem se presta e não se importa de fazer as figurinhas que tanto nos escandalizam.

E prosseguem como top de audiências sem igual, porque toda a gente fala deles, e como a curiosidade matou o gato, lá se vai dar uma vista de olhos aos programas, o que hoje em dia basta andar com os canais para trás, ou mesmo ir à www (que hoje faz anos), e ver os vídeos à nossa disposição, porque para se criticar depressa e bem, há que ver para crer como São Tomé.

Estão ali, todas e todos, dizem eles e elas,  à procura do amor, que lhes tem sido madrasto (não é erro não), ao longo dos seus provectos e bem vividos 19, 20, 21 e 23 anos, quando todos nós sabemos que estão ali apenas para alcançar aqueles minutos de fama, seja a que custo for, e falem mal, mas falem de mim, pois holofotes precisam-se para abrilhantar a nossa vida.

Eles com os seus ares de grunhos,  músculos à vista e poses de marialvas, elas com os seus ares de frágeis donzelas imaculadas, submissas e prontas para realizarem qualquer desejo inimaginável que seu amo  ou sua matriarca almejem.

Quase todas desempregadas, nada é por acaso, já se reconheceram participantes em outros formatos, estrelas da pornhub e capas da Playboy, pobres, coitadas ingénuas que apenas aguardam por seu príncipe encantado para lhes calçar o sapatinho de cristal.

Os participantes, a não ser que tenham vivido nos últimos tempos numa cápsula de criogenia, já sabiam ao que iam, pois estes formatos de programas pululam por toda a Europa sem grandes diferenças de uns para outros nem foram obrigadas por nenhum ser maquiavélico que lhes tivesse apontado alguma pistola às suas cabeças de vento.

São maus os programas?

Não. São péssimos, mas enquanto gerarem polémica, enquanto forem tema de conversa, vão continuar a existir, e quanto mais sangue, suor e lágrimas provocarem, mais audiências terão, mais participantes se irão inscrever, novas temporadas virão, e a indignação continuará a publicitar de forma gratuita estes programas.

 

08
Mar19

Final da tarde do Dia da Mulher

Miss Lollipop

Uma alminha abençoada veio-me avisar do corte das avenidas ali à volta por causa da marcha dos enfermeiros.

Pisga-te daqui a correr senão hoje não chegas a casa.

E foi mesmo à pele que me consegui safar.

Desvio para a zona comercial, aproveitar a oferta do Boticário.

Se é dado, vale sempre a pena.

Achava eu, pobre ingénua, que seria a única aproveitadora...

Uma longa fila com direito a baias e tudo me aguardava.

Já que aqui estou, não vou desistir.

E a espera resultou numa massagem nas mãos com um creme de ameixa e não sei mais o quê,  numa massagem no cabelo com um óleo anti frizante com extratos de não sei mais o quê,  e numas pulverizadelas duns perfumes disto e daquilo.

Já com o olfacto marado,  lá recebi um saquito, não sem antes a mocinha lhe ter dado umas valentes borrifadelas de perfume, com a loção ultra hidratante de quinoa de 100 mls, pasme-se, e mais uns vales de descontos, que dão sempre um jeitaço e ainda uma make up flash ( que espero não ter nada a ver com o Flash Gordon).

20190308_181706.jpg

 

Finalmente chegada ao burgo, fui buscar aquelas calças que tinha debaixo de olho há uns tempinhos, mas que não tinha pachorra para perguntar qual o número do manequim da montra, já que as que estavam na loja eram números grandes.

E não é que eram o meu número?

Happyyyyy!

08
Mar19

Ainda o Dia da Mulher vai a meio

Miss Lollipop

Desde manha bem cedo que as minhas redes sociais estão a ser literalmente invadidas por mulheres que me parabenizam por este dia de todas as formas e feitios, que me desejam um Feliz Dia, que afirmam estarmos juntas, que dizem que as mulheres são como flores porque quanto mais diferentes mais bonito é o bouquet, que ser Mulher é ser especial a vida toda, que me enviam flores de todas as cores e tamanhos, que me mandam poemas, citações e reflexões, vídeos com mulheres e flores, músicas que versam as mulheres….

As minhas caixas de correio, tanto pessoais como profissionais, estão entupidas de mensagens afins e até a minha Ordem me agradece o meu contributo diário em prol do colectivo nacional.

E a inevitável florzita lá me chegou pelas mãos do Big Boss, acompanhada pela beijoca de circunstância e do sorriso forjado.

20190308_141312.jpg

E o dia ainda vai a meio….

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D