Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas da Minha Aldeia

Diário de bordo do meu Mundo que é uma aldeia pintada com as cores do arco-íris.

Crónicas da Minha Aldeia

Diário de bordo do meu Mundo que é uma aldeia pintada com as cores do arco-íris.

16
Fev22

Portugal acima de tudo

Miss Lollipop

Como é público, evidente e notório sou benfiquista dos 4 costados, mas acima de tudo sou Portuguesa com imenso orgulho.

Sou aquela que sofre com a prestação de cada português seja em que área for, que vibra e festeja como se fosse sua a vitória de portugueses seja onde for, que se levanta com a mão no peito com a pele arrepiada a cantar o Hino Nacional.

Sou aquela que fica pior que estragada quando tentam deitar abaixo Portugal, com críticas ou ações, que vocifera ruidosamente quando acham que o que vem de fora é melhor do que o que aqui há.

E principalmente sou aquela que apoia qualquer equipa portuguesa que defronte uma equipa estrangeira, seja ela  rival da 2ª circular ou inimigo do norte.

Ontem, eu benfiquista de gema, apoiei o Sporting. Sabia que seria difícil, mas não há impossíveis. E fiquei desolada perante o massacre em Alvalade. Fiquei triste. E mais triste fiquei com o contentamento de imensos que se vangloriavam com a derrota do Sporting e que os arrasavam .

Uma breve incursão pelas redes sociais dá para perceber o fanatismo exarcebado que muitos fazem questão de demonstrar, não sabendo respeitar as opções de cada um. E isto aplica-se ao desporto, à política, ao social no geral.

E mais piúrsa fico quando argumentam com um simples "eles também fazem o mesmo ou pior".

haja respeito pelas opções pessoais, haja empatia uns pelos outros, haja sentido e orgulho de ser Português acima de tudo.

 

15
Fev22

Valentim a quanto obrigas

Miss Lollipop

A não ser que andem completamente alheados do que se passa por aqui e por ali, souberam que ontem foi o dia de São Valentim, comercialmente apelidado do "Dia dos Namorados" por terras lusas, e não só, dia este com uma longa tradição nos States onde é o " Dia dos Amigos" como qualquer fã do Snoopy bem sabe, e que com ele sofre pela ausência de qualquer carta, ano após ano.

Se eu comemoro este dia importado?

Pergunta desnecessária... claro que sim, pela simples razão que eu comemoro tudo e mais alguma coisinha, desde o aniversário do canário até ao dia em que as minhas orquídeas tornam a florir.

E tenho que ter prendinha comme il faut (flores não valem por aqui já basta as oferecidas pela junta de freguesia cá do burgo) do meu Valentim pessoal, que também recebe a sua prendinha.

Só que me recuso terminantemente a ir jantar fora neste dia. Fiquei mais vacinada do que com as doses todas das pfeizeres, desde a última vez que nos debatemos com os locais todos a transbordarem no meio de decorações bacocas e som ambiente de galinheiro.

Os menus, especialmete elaborados para este dia tão especial, têm sempre algo que não gosto (eu sei que sou uma esquisita do caraças), pelo que ficar pela entrada e sobremesa para pagar o preço inflacionado especial do menu, não me parece nada bem. 

Preço este ao que acrescem as bebidas, pois a oferta não passa duma flute de espumante que me faz espumar pelos poros, sendo que aqui o parzito gosta de beber bem mas do bem bom, pelo que a conta final acaba com o romantismo todo.

Mas que há jantar concerteza que há. Com toda a pompa e circunstância, filhos a sarabandarem, cadelas à mistura, com direito a acessórios conformes, vinho à maneira, marisco em barda, patés para todos os gostos e feitios, conduto à nossa medida, à luz das velas.

E que bem que se está no aconchego do lar nestas datas supostamente festivas a namorar sempre como fazemos em cada dia....

Valentines dinner.jpg

 

 

03
Fev22

Quero o meu Benfica de volta

Miss Lollipop

Benfiquista desde pequenina, ia em alegres peregrinações com o meu pai ao estádio da Luz, ver as velhas glórias darem-nos grandes alegrias.

Alegrias que agora não estão a dar à filhota, fiel acompanhante do pai nas peregrinações à Luz onde cada vez tombam mais, levantam-se e tornam a cair, a resvalarem perigosamente à beira do precipício.

Meu Benfica, quem te viu e quem te vê.

Para os adeptos é a tristeza, a decepção, o desânimo.

Para os jogadores, o descrédito e pouco mais, pois joguem melhor ou pior, continuam a ter a carteira bem recheada.

E se passassem a receber por objetivos ?

Tinham um ordenado base, e apenas recebiam com os objetivos cumpridos.

A ver se não começavam logo a correr no campo e a darem  o litro para ganharem.

01
Fev22

Sondagens e coiso e tal

Miss Lollipop

Sendo eu da área das ciências, habituada a fórmulas matemáticas mais ou menos complexas, modelos estatísticos mais ou menos elaborados, folhas de cálculo mais ou menos versáteis, deveria ser uma acérrima defensora das sondagens eleitorais.

Só que não. A proliferação de empresas de estudo de mercado que se aliaram à comunicação social tornaram isto tudo numa feira de vaidades com muito fogo de vista, um circo montado que cada vez mais influencia o eleitorado.

Vejamos o caso das Autárquicas em Lisboa, em que me deitei com o Medina a ganhar confortavelmente e acordei com o Moedas a surpreeender tudo e todos. As sondagens eram claras. Para quê ir votar se a  a margem de vitória do medina estava assegurada ?

Legislativas e levámos com sondagens diárias e 1 semana de empates técnicos entre os 2 maiores partidos. Desta vez uns uniram-se e votaram pela primeira vez num partido que não o seu, mas do mal o menos, outros nem por isso, toca a dispersar os votos para haver umas coligaçõse e pumbas... maioria absoluta contra todas as expectativas.

Interessante também foi a projeção da abstenção. RTP -49/54%, SIC - 45/49%; TVI/CNN - 40/44%.....

Meus senhores atinem nos modelos estatísticos utilizados e na forma de os analisar.

Aliás desde quando alguma sondagem poderia ser fiável se nunca me telefonaram nem sequer me sondaram à boca das urnas ?

31
Jan22

Maioria absoluta

Miss Lollipop

No rescaldo destas eleições, contra todas as previsões, pensamentos e omissões, o PS atingiu a maioria absoluta. Para alguns isto é sinónimo de estabilidade governativa pois poderão passar tudo aquilo que quiserem com mais ou menos barulho.

A mim, particularmente, assusta-me. Imenso.

Maiorias absolutas tendem a ser ditatoriais. A História demonstra-o.

Vivendo em democracia deve haver pluralidade. Deve haver bom senso para se encontrarem as melhores soluções que melhor sirvam o país. Por vezes um travão faz falta. 

Só nos resta ter esperança que o bom senso impere, e que em prol da vaidade do poder instalado não sejam cometidos erros com danos irreparáveis para o nosso País já tão ferido.

13
Jan22

Bicharoco enxotado

Miss Lollipop

Após 2 anos a conseguirmos driblar o bicharoco por estas bandas, eis que chegou sem aviso prévio e sem convite formal.

Não percebemos de onde raio ele veio, mas nesta altura acho que já não há muito para perceber, até porque já tomámos a 3ª dose da vacina.

Andámos constipados, eu e maridão, mas nada que nos deitasse abaixo. Na noite da passagem do ano, o apetite era mais do que menos.

As gambas que costumo enfardar que nem uma maluca, resumiram-se a meia dúzia e nem aquela molhenga maravilhoda de whisky me deu vontade de as afogar. As minhas trouxas de ovos que acenavam sob aquela calda pecaminosa e aquela lampreia de ovos que me piscava o olho de forma marota, ficaram à espera de melhores dias.

No dia seguinte, a mana pediu para lhe fazermos um autoteste. Teve nega. No teste.

A minha Lolli que faz testes como quem bebe água quis também fazer.

E perante o espanto geral, estava positiva.

Fizemos nós o teste e... positivos.

Contactos para a linha é coisa para fazer desseperar um santo, quanto mais eu que de santa não tenho nada. Cada vez que se liga é responder a um questionário imenso para acabar por ouvir para ligarmos mais tarde e nos desligarem a chamada. Enviamos um email a reportar a situação. 

Os nossos sintomas eram apenas tosse, pingo na narina e cansaço. Autoisolámo-nos o que não nos foi penoso, pois estamos em teletrabalho e os miúdos estavam na semana adicional de férias, e como vivemos numa moradia continuámos a ir para a "rua" apanhar ar, brincar com as cadelas, tomar café ao sol.

Passados os 7 dias com 2 benurons por dia e 1 de acetilcisteína, testes antigénios negativos, bora à vida normal que o bicharoco já foi enxotado.

Eles já foram ao futebol, os miúdos  reiniciaram as aulas, continuamos em teletrabalho.

A tosse parece estar para durar e cansamo-nos muito mais do que o habitual.

Parece que será assim durante uns tempos. É aceitar que dói menos.

Para todos os efeitos não tivemos Covid pois não chegámos a entrar no sistema, nem contámos para a estatística.

A resposta ao email enviado, chegou depois do isolamento feito a dizer para contactar o SNS em caso de sintomas graves ou para aceder a um link sobre resultados de autotestes.

Agora? Muito obrigada. Case closed. Siga para bingo

25
Nov21

32 anos de namoro pegado

Miss Lollipop

Na estrada da nossa vida, chegamos em determinadas alturas a cruzamentos que ditam o nosso destino conforme o sentido que optarmos.

Há 32 anos segui uma direção que me levou a um jantar de aniversário, depois de me ter desencontrado com a minha companhia à altura, onde estava uma personagem animada trazida por arrasto por um colega meu, que passou a noite a tirar-me do sério, e que me fez literalmente meter a pata na poça naquela longínqua noite chuvosa.

A irritação transformou-se em fúria que descambou em curiosidade que deu lugar ao espanto, desaguando em loucura.

Desde esse dia, já lá vão 32 anos, que não longos, pois parece que foi ontem, que continuamos juntos, contra tudo e contra todas as previsões.

Nem tudo tem um sido um mar de rosas mas atravessámos ilesos tempestades, turbulências, furacões e maremotos sempre com a certeza de que tudo valia a pena, que os bons momentos superavam os menos bons.

E é assim que continua a ser, passados 32 anos, sempre juntos para o que der e vier, com a certeza que somos o verso e o reverso da mesma medalha, que somos o Yin e o Yang um do outro, somos as 2 peças do puzzle da vida que se completam e que não se separam.

 

 

01
Out21

Balanço da semana

Miss Lollipop

Thank God it's friday....

Nunca esta expressão fez tanto sentido na minha vida.

Foi a semana em que peguei de novo no carro após o acidente, foi a semana em que voltei ao escritório por 2 vezes.

O conduzir para mim que sempre adorei conduzir, tornou-se num martírio.  Conduzia despreocupadamente atenta, sempre com música alto e bom som a cantar e desafinar.

Agora, sinto a tensão em cada músculo do meu corpo, vou de dentes cerrados a olhar desconfiada para tudo e para todos, o rádio vai tão baixo que nem sei o que por lá passa.

O trânsito está infernal, as pessoas parece que desaprenderam a conduzir, estão muito mais impacientes e intolerantes, vê-se manobras loucas de bradar aos céus, não há percurso em que não se apanhe um acidente.

Depois de 45 longos e tortuosos minutos, consegui entrar no edifício, com mais 20 minutos até conseguir alcançar a minha sala, por entre encontros saudosistas de colegas de diversos departamentos.

Há que achar um pc livre e demorar o tempo que for preciso para configurar as nossas definições.

Com as maravilhas do open space, a concentração voa em todas as direções entre conversas cruzadas.

Embora tenha saído o mínimo indispensável do lugar em que estava, as visitas dos colegas sucederam-se em catadupa no meio de conversas de circunstância.

Com a paciência em valores negativos  voltei a enfrentar o trânsito dantesco.

Desde que de lá saí até ao momento que entrei em casa, havia apenas 18 chamadas não atendidas.

Óbvio será que no dia 2 presencial em que pouco ou nada mudou, desliguei o telefone à saída.

E saí mais cedo a correr pois tinha reunião com a Diretora de Turma da miúda, em casa via teams....

Ou seja, produtividade com balanço negativo, níveis de stress nos níveis máximos... lar, doce lar... there's no place like home

28
Set21

Regresso ao escritório

Miss Lollipop

Depois de uma tentativa frustada e bem dolorosa de regressar ao trabalho presencial na semana passada, hoje foi o dia em que voltei ao escritório.

Tudo começou com uma orientação superior, em que nos mantemos em teletrabalho 2 dias por semana, e temos que cá vir 3 , descobrir uma secretária livre com computador, e fazer exatamente o que fazemos em casa, ou bastante menos, pois perde-se tempo (imenso) no caminho para cá, não se toma café frente ao pc, desliga-se o pc bem mais cedo e perde-se ainda mais tempo a voltar para casa.

Tentei vir na semana passada, mas o Universo também estva contra a minha volta. Não consegui cá chegar, mercê de um camião que se atirou literalmente para cima do meu carro, que repousa agora nas urgências oficinais. 

Adiante que, salvo a chaparia lateral ter ficado toda lixada e de eu  ter ficado dorida como o caraças, estou aqui para contar a história, que quase ninguém acreditava.

Hoje então fui buscar todas as minhas forças, enchi o peito de coragem, exorcizei os meus fantasmas e aqui estou eu, sentada em secretária alheia frente a pc partilhado, longe da minha janela, com uma neura do tamanho do mundo.

Se havia alguma réstea de saudade bem escondida dentro de mim, comprovei que nem sequer uma pontinha em que me  pudesse agarrar.

Tive das manhãs menos produtivas dos últimos tempos, com constantes interrupções bem intencionadas mas que me levam ao desespero e à vontade de ser bruta.

Perdi a conta ao número de vezes que já me levantei deste lugar, em que desci e subi os degraus, em busca de arejar a mente, o espírito, a alma e o corpo.

A minha concentração apresenta mínimos olímpicos, pois as conversas cruzadas de um lado e de outro mantém-se a bombar.

Sinto-me triste, infeliz e deprimida, e não gosto de me sentir assim.

Estou a sonhar com a hora de me ir embora, de sair daqui, e de chegar ao meu porto seguro.

03
Mai21

Acerca do Dia da Mãe

Miss Lollipop

Íamos sempre juntas logo pela manhã à missa do Dia da Mãe, íamos todos almoçar fora num restaurante previamente reservado, víamos filmes durante toda a tarde.

Assim era passado o Dia da Mãe com a minha querida Mãe.

Desde que ela partiu, passou a ser um dia muito triste para mim em que deixei de ter vontade de fazer fosse o que fosse.

Este ano tornaram o meu dia da Mãe um pouco mais suportável com o presente que fez a minha felicidade, depois de terem visto como eu fiquei depois de ter  oferecido o canarinho à amiga....

canarinhos.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Zomato

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D